IGREJA ROMÂNICA E MUSEU PE. CÂNDIDO AZEVEDO REQUALIFICADOS

IGREJA ROMÂNICA E MUSEU PE. CÂNDIDO AZEVEDO REQUALIFICADOS

A Igreja Românica de Sernancelhe, construída em 1172, é um dos edifícios mais valiosos do Concelho. Pela sua antiguidade, pelo papel que desempenha na compreensão do românico em Portugal, pela singularidade do seu interior mas essencialmente pela harmoniosa proporcionalidade da fachada, do pórtico, com os trípticos escultóricos da fachada e a torre sineira. No sentido de garantir a preservação do imóvel, o Município e a Fábrica da Igreja de Sernancelhe coordenaram uma intervenção no valor de 288.367,35 Euros, comparticipados em 85% pela União Europeia, Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, Norte2020 – Programa Operacional Regional Norte. O Museu Paroquial Padre Cândido foi também contemplado nesta operação, com todo o espaço interior reformulado, criação de informação turística e material promocional.

Na tarde de 9 de setembro a Igreja encheu-se para o momento da inauguração das obras de requalificação. Logo após a missa dominical, Padre Carlos Carvalho recordou o processo complexo que envolveu toda a obra, decorrente da riqueza dos elementos intervencionados, do número e especificidades das peças restauradas, e reconheceu que a Igreja e o Museu foram uma etapa de um conjunto de elementos patrimoniais que Sernancelhe pretende conservar e valorizar.

Reconhecendo que o sucesso desta realização deveu-se ao empenho e colaboração das instituições Igreja e Município, enalteceu o legado do Padre Cândido Azevedo e assumiu ser um dever de quem lhe sucede valorizar o seu trabalho e, dentro do possível, melhorá-lo para que passe também para as gerações seguintes. O pároco falou portanto de um momento em que devemos celebrar o que foi conseguido: a requalificação da Igreja Românica e do Museu Pe. Cândido.

Contudo, Padre Carlos manifestou o desejo de que a paróquia tenha uma casa mortuária e seja requalificado o Santuário de Nossa Senhora de Ao Pé da Cruz, espaço que conhece cada vez maior utilização e está enquadrado num espaço de grande beleza paisagística.

Por seu turno, o Presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe, Carlos Silva, lembrou que um território é rico quando consegue valorizar e aliar as suas populações em torno da cultura e da educação. A esse propósito enalteceu um projeto do Padre Carlos que tem merecido grande projeção: o coro paroquial. Referindo tratar-se de um grupo de grande qualidade, o Presidente da Câmara classificou como uma grande obra imaterial a capacidade de juntar, em torno da música e do canto litúrgico, pessoas de todas as idades e que partilham deste mesmo gosto.

Explicou ainda as diferentes etapas que permitiram a requalificação da Igreja e dos elementos do seu interior. Reconheceu igualmente a importância do legado de Pe. Cândido, símbolo de um tempo muito rico, em que a Igreja de Sernancelhe e o concelho eram reconhecidos e muito enaltecidos no nosso País.
Da parte do Município, que coordenou com os seus técnicos todo o processo e acompanhou a realização da obra, Carlos Silva afirmou tratar-se de uma obrigação pugnar pela preservação do património, pela sua valorização e promoção.

Relativamente aos projetos enunciados pelo Padre Carlos Carvalho, concretamente a casa mortuária e a requalificação do Santuário de Ao Pé da Cruz, Carlos Silva reconheceu serem obras enquadradas nos planos do Município, alertando que ambas obedecerão a projetos, a serem implementados ao longo do tempo mas sempre de forma planeada e controlada.

A cerimónia de inauguração ficou concluída com o descerramento de placas evocativas, tanto da Igreja como do Museu, a que se seguiu um momento musical pelo duo Maria Cachucha.

INTERVENÇÃO DEVOLVEU VALOR PATRIMONIAL À IGREJA

A intervenção foi extensa e contemplou trabalhos de conservação e restauro de pinturas murais, tratamento de lacunas de suporte e camadas pictóricas, conservação e restauro de elementos pétreos do interior, colagem de fragmentos e fraturas, conservação e restauro do teto e retábulos da entrada principal, da Capela Mor, da Virgem da Conceição, do Púlpito, do Retábulo de Santo António, do Sagrado Coração de Jesus, conservação e restauro de Esculturas de Vulto, entre tantas outras intervenções que garantem a perpetuação dos elementos patrimoniais que tornam a Igreja num dos maiores símbolos do Concelho.

Localizada no Centro Histórico de Sernancelhe, a Igreja Românica é um templo do séc. XII, classificada como Imóvel de Interesse Público em 1939. Elemento essencial na compreensão das origens e evolução do Concelho, está enquadrada por elementos patrimoniais de grande relevo, como o pelourinho quinhentista, de gaiola, pela casa do Condes da Lapa, pelo Solar dos Carvalhos, erigido por Paulo de carvalho, tio do Marquês de Pombal, pela Casa da Comenda de Malta e pelo edifício da Câmara e Cadeia, do século XVI.

Dedicada a S. João Baptista, impressiona pela beleza do seu pórtico e pela sua torre sineira. No interior são os frescos quinhentistas, o altar-mor renascentista e os altares de talha barroca que fascinam. Testemunho inquestionável da predominância cristã neste território, guarda no seu interior elementos artísticos de grande notoriedade, como o arco triunfal apontado, com policromia, profundamente decorado por cordas, esferas, espinha e axadrezado, ladeado por duas pinturas murais, representando Nossa Senhora da Conceição e a Virgem Apocalíptica.

Paredes meias com a Igreja está o Museu Padre Cândido Azevedo, arquivo vivo da riqueza da imaginária e da paramentaria da Igreja de Sernancelhe, proporcionando agora a todos os visitantes uma viagem pela história e pela memória de mais de oito séculos do Concelho.