Concluída a recuperação da igreja Românica de Sernancelhe                         

CONCLUIDA A RECUPERAÇÃO DA IGREJA ROMÂNICA DE SERNANCELHE

Está concluída a recuperação do interior da Igreja Românica de Sernancelhe. Por iniciativa do Município de Sernancelhe, o imóvel foi alvo de uma operação de conservação e restauro, no valor de 288.367,35 Euros, comparticipados em 85% pela União Europeia, Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, Norte2020 – Programa Operacional Regional Norte, permitindo salvaguardar os elementos patrimoniais daquele templo, que contemplou ainda o Museu Paroquial Padre Cândido, a colocação de informação turística e a criação de material promocional.

Reconhecido pela sua importância no contexto do românico no nosso país, a Igreja de Sernancelhe guarda inúmeros exemplares de arte sacra de grande valor. Razão pela qual a intervenção foi extensa e contemplou trabalhos de conservação e restauro de pinturas murais, tratamento de lacunas de suporte e camadas pictóricas, conservação e restauro de elementos pétreos do interior, colagem de fragmentos e fraturas, conservação e restauro do teto e retábulos da entrada principal, da Capela Mor, da Virgem da Conceição, do Púlpito, do Retábulo de Santo António, do Sagrado Coração de Jesus, conservação e restauro de Esculturas de Vulto, entre tantas outras intervenções que garantem a perpetuação dos elementos patrimoniais que tornam a Igreja num dos maiores símbolos do Concelho.

A Igreja Românica, localizada no Centro Histórico de Sernancelhe, é um templo do séc. XII. Elemento essencial na compreensão das origens e evolução do Concelho, o templo está enquadrado por elementos patrimoniais de grande relevo, como o pelourinho quinhentista, de gaiola, pela casa do Condes da Lapa, pelo Solar dos Carvalhos, erigido por Paulo De carvalho, tio do marquês de Pombal, pela Casa da Comenda de Malta e pelo edifício da Câmara e Cadeia, do século XVI.

Construída em 1172 a Igreja Românica de Sernancelhe é dedicada a S. João Baptista, impressionando pela sua harmoniosa proporcionalidade, pela beleza do seu pórtico, pelos trípticos escultóricos da fachada e pela sua torre sineira. No interior são os frescos quinhentistas, o altar-mor renascentista e os altares de talha barroca que fascinam. A magnificência patrimonial deste templo, a par da diversidade artística do seu interior, conferem-lhe a justíssima classificação de um dos mais belos exemplares do românico em Portugal.

A Igreja de S. João Baptista apresenta planta longitudinal constituída por nave, capela-mor, capelas laterais, sacristia e torre sineira seiscentista, de traça quadrada, adossada á frontaria. Nesta rasga-se o portal principal, românico, de arco de volta inteira com três arquivoltas – as exteriores são simples e a central é adornada por doze Anjos de asas abertas – apoiadas em colunas de fustes lisos e cilíndricos, coroadas com capitéis apresentando pequenas volutas. No assentamento das arquivoltas surgem dois nichos, cada um deles ostentado três esculturas sob dosséis representando os Evangelistas e S. Pedro e S. Paulo. Este conjunto escultórico constitui um elemento invulgar no âmbito do românico nacional. Por sua vez, o tímpano, bem como os pináculos e o pequeno óculo nela existentes são mais modernos. No que se refere aos cachorros que decoram o exterior da sacristia e capela-mor do lado norte importa dizer que representam utensílios e animais domésticos, bustos de mulheres, uma criança, uma pipa com uma estrela pintada a ocre, e uma mulher de mãos na barriga em evidente trabalho de parto.

A magnificência patrimonial deste templo, a par da diversidade artística do seu interior, conferem à Igreja Sernancelhe a justíssima classificação de extraordinário exemplar do românico em Portugal.

Testemunho inquestionável da preponderância cristã neste território, guarda no seu interior elementos artísticos de grande notoriedade, como o arco triunfal apontado, com policromia, profundamente decorado por cordas, esferas, espinha e axadrezado, ladeado por duas pinturas murais, representando Nossa Senhora da Conceição e a Virgem Apocalíptica.

O túmulo de arquitetura gótica, na Capela de Nossa Senhora da Conceição, com o seu altar barroco, a pia batismal, as pinturas do século XVI de influência flamenga, o altar-mor maneirista do século XVII, as esculturas de S. João Baptista, S. Sebastião, N. Senhora do Carmo, o Sacrário, são marcas deste templo classificado como Imóvel de Interesse Público em 1939.

 

Reorganizado o espaço interior do Museu Padre Candido

 Reorganizado o espaço interior do Museu Padre Candido

O autêntico museu de arte que nos reserva o interior da Igreja Românica proporciona uma viagem pelos mais de oito séculos de história de Sernancelhe.

Uma viagem que só fica completa com uma visita ao Museu Paroquial Padre Cândido Azevedo, repositório vivo da riqueza e do esplendor da imaginária e da paramentaria da Igreja. Por entre cálices de prata trabalhada, uma Sagrada Custódia de rara beleza, desponta o prato flamengo de Nuremberga do séc. XVI. A paramentaria reserva-nos capas, casulas, estolas, e o admirável véu de Píxide de seda e ouro do séc. XVIII.

A arqueologia está igualmente assinalada no interior deste espaço museológico, onde a história se explica desde o séc. III a.C. com o bucrânio: ara luso-romana com a cabeça de um touro. Coberturas tumulares suevo-visigóticas, estelas e fragmentos de pedras funerárias são outros símbolos que revelam a presença de muitas civilizações em Sernancelhe.

Espelho da presença da Igreja em Sernancelhe é o Museu Padre Cândido, que proporciona uma viagem pela história e pela memória de mais de oito séculos do Concelho. Graças ao notável espólio de arte sacra, paramentaria religiosa e arqueologia, recolhido do interior e do exterior da Igreja Matriz, este espaço é um repositório de símbolos das várias civilizações que povoaram Sernancelhe, confirmando a riqueza e diversidade cultural que muito contribuíram para a construção da identidade desta terra Beirã.