Sernancelhe recebeu ação de esclarecimento sobre prevenção de acidentes com tratores e máquinas agrícolas

Sernancelhe recebeu ação de esclarecimento sobre prevenção de acidentes com tratores e máquinas agrícolas

Portugal é o terceiro país da União Europeia com mais acidentes com tratores. Segundo dados da GNR, citada pelo jornal “Voz do Campo”, em 2017 morreram 61 pessoas ao volante de tratores. E entre 2013 e 2017 morreram em Portugal 358 pessoas em acidentes com tratores. Esta realidade, confirmada pela Autoridade Para as Condições do Trabalho (ACT) durante a sessão de esclarecimento realizada no Auditório Municipal de Sernancelhe, na manhã de 15 de março, justifica a tomada de medidas e comprova que no nosso País os acidentes de trabalho estão a aumentar, o que exige mais informação, mais prevenção e mais fiscalização por parte das autoridades.

Por parte dos agricultores a preocupação também se manifesta, como comprovou a presença de mais de centena e meia de pessoas no Auditório Municipal para a assistirem à sessão de esclarecimento sobre Prevenção de Acidentes com Tratores e Máquinas Agrícolas, organizada pela Confederação Nacional da Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (CONFAGRI), pela Associação de Desenvolvimento Integrado do Vale do Távora (ADIVAT) e Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Vale do Távora e Douro, com apoio da Guarda Nacional Republicana (GNR), Autoridade Para as Condições do Trabalho (ACR) e Município de Sernancelhe.

Tendo como objetivo alertar para os riscos inerentes à condução de tratores máquinas agrícolas, a iniciativa procurou aconselhar quanto à forma de prevenir os acidentes que resultam da atividade agrícola, sensibilizar para a necessidade de mudança de comportamentos, promover formação dos agricultores, boas práticas e melhorar a segurança na utilização de máquinas agrícolas.

Por outro lado, e como explicou o sargento-chefe Leitão, da GNR, em consequência do número e caudas dos acidentes registados nova legislação está a ser preparada para dar formação e habilitar os condutores de tratores a circularem na via pública.

A sessão de esclarecimento foi aberta pelo vice-presidente da Direção da ADIVAT, Leandro Macedo, que explicou a abrangência da associação e o apoio que presta aos agricultores para o desenvolvimento das suas atividades, referindo que mais do que uma má colheira agrícola ou uma intempérie que comprometa a produção, é acontecerem acidentes com máquinas agrícolas que provoquem a morte ou incapacidade das pessoas.

Nesta sessão o Presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe, Carlos Silva Santiago, agradeceu a escolha do Concelho para acolher a iniciativa, destacando a importância do esclarecimento e da formação das pessoas quanto ao manuseamento dos tratores e das máquinas agrícolas. Lembrou a necessidade de formação contínua ao longo dos anos, concluindo que para os agricultores é mais proveitoso e rentável se estiverem seguros e conscientes do que estão a fazer do que arriscarem e acontecer uma fatalidade.

A sessão foi dividida em três sessões, cabendo a primeira a Aurora Sousa, da ACT, que falou da “prevenção de acidentes em operação com tratores e máquinas agrícolas e as obrigações legais em matéria de segurança e saúde no trabalho”. A segunda intervenção ficou a cargo do sargento-chefe Leitão, da GNR, que informou das “disposições legais, estatísticas de acidentes e conselhos úteis na condução e uso de tratores e máquinas agrícolas” e, por fim, foi a vez de intervir Augusto Ferreira, da CONFAGRI, acerca da “Formação obrigatória para a condução e operação de tratores”.