Chosendo inaugura Capela de São Miguel, o padroeiro da freguesia

Chosendo inaugura Capela de São Miguel, o padroeiro da freguesia

A freguesia de Chosendo inaugurou, na tarde de 11 de junho, na antiga Escola Primária, a Capela dedicada a São Miguel, o padroeiro da Freguesia. Ainda que a Igreja Paroquial, do século XVIII, lhe seja dedicada, e até o pequeno curso de água que atravessa a aldeia seja conhecido como Ribeiro de S. Miguel, Chosendo evidencia-se pela festa em Honra de Santa Bárbara, no inverno, e Sra. do Calvário, no terceiro domingo de agosto. Agora, e depois da requalificação do antigo espaço escolar, a aldeia vai passar a assinalar o S. Miguel na nova Capela, uma obra realizada através da parceria entre a Câmara e a Junta de Freguesia, que teve um custo de aproximadamente 60 mil euros.

Padre Moura, pároco de Chosendo, procedeu à bênção do novo espaço religioso, a Capela de S. Miguel, que conta no seu interior com uma imagem do Santo da autoria do Escultor Pedro Lacerda.

É portanto um novo património, ainda que a sua função possa alargar-se a capela mortuária sempre que for necessário. Na perspetiva do sacerdote, todos os elementos, materiais ou imateriais, que sejam pertença e identifiquem uma comunidade são património. Nesse sentido, património é a junção da herança do passado com o que hoje é construído e, por isso, a Capela de São Miguel é um espaço que enriquece o conjunto de equipamentos da comunidade de Chosendo.

Agradecendo a vontade do Município e da Junta de Freguesia em que este espaço fosse construído, Padre Moura lembrou, com particular entusiasmo, uma conversa recente do Sr. Presidente da Câmara sobre esta obra, em que, depois de questionado acerca do propósito e andamento da empreitada, disse que “mais importante do que as obras são as pessoas”. Ou seja, reconhece o pároco de Chosendo, as obras devem ir ao encontro das necessidades das pessoas, devem ser um auxílio, mas nunca devem substituir as pessoas, as relações que com elas se estabelecem, a disponibilidade de ligação constantes às suas vidas, aos seus problemas e anseios.

Por seu turno, Irene Proença, Presidente da Junta de Freguesia de Chosendo, agradeceu ao Município a disponibilidade para que a Capela de São Miguel fosse concretizada.

Garantindo que foi, para o povo de Chosendo, a satisfação de uma necessidade, recordou que, para além dos atos religiosos que passarão a ser realizados naquele espaço, será na função de capela mortuária que dará a dignidade indispensável para que as famílias velem pelos seus entes queridos, pois em Chosendo não havia um espaço que desempenhasse essa função.

Já o Presidente da Câmara, Carlos Silva Santiago, pegando nas palavras de Padre Moura, retomou a máxima de que, no Concelho de Sernancelhe, as pessoas estão efetivamente em primeiro lugar. No entender do Presidente, as obras surgem como um complemento e um auxílio para melhorar a qualidade de vida e o dia-a-dia, quando o propósito maior passa pela fixação das populações, pela atração de jovens, pela capacidade de lhes serem proporcionadas condições para que permaneçam nas suas terras de origem.

Felicitou por isso a Junta de Freguesia de Chosendo, em quem disse reconhecer este trabalho afetivo junto das pessoas, para quem o cerne da gestão autárquica passa pela disponibilidade e capacidade de dar resposta aos anseios das populações.

No final da cerimónia, tempo ainda para o descerramento de uma placa evocativa do momento e para um lanche convívio preparado pelas gentes de Chosendo.