Sernancelhe mantém aposta na Floresta. Ação dos Sapadores é essencial para preparar o Verão

Sernancelhe mantém aposta na Floresta. Ação dos Sapadores é essencial para preparar o Verão

A floresta foi sempre uma das grandes riquezas do nosso País, vital mesmo para as comunidades do Interior. Por isso mesmo, na década de 40 do século XX, foi por ela que as populações se insurgiram contra o Estado Novo, em defesa precisamente dos baldios. Na década de 80 desse mesmo século, no nosso Concelho, várias freguesias viviam exclusivamente da exploração da resina, cenário que se manteve até à chegada dos grandes incêndios que devastaram as matas de pinheiro. Alterou-se o território, do ponto de vista económico e social, pelo que Sernancelhe assume hoje o planeamento como a melhor estratégia para garantir que a floresta continua a ser um precioso recurso da nossa população. Com a coordenação do Gabinete Técnico Florestal, o Município tem no terreno uma equipa de sapadores florestais, e já recorreu à contratação de empresas de limpezas, para garantir que é feita a silvicultura preventiva junto às populações, que as faixas de gestão de combustível na rede viária são executadas, que as limpezas de perímetros florestais cogeridos pelo Estado e Baldios são realizadas, e que a vigilância em período crítico acontece e é essencial na proteção da natureza.

O Concelho de Sernancelhe é um território de montanha, com mais de 220 quilómetros quadrados de área, sendo sensivelmente metade floresta. Ainda que o pinheiro bravo e o carvalho preencham esta paisagem verde, na última década Sernancelhe viu a área de castanheiro duplicar e nos mosaicos das encostas e do planalto convivem árvores diversas que obrigam a cuidados especiais, que passam pela limpeza dos acessos florestais estratégicos, junto aos pontos de água, e ainda pela proteção e vigilância florestal nos períodos mais sensíveis. Ou seja, a floresta e os espaços que têm uma componente de transição com a agricultura voltaram a ser rentáveis para as populações, o que exige do Município cuidados redobrados para ajudar a proteger as fontes de receita das suas gentes.

O Gabinete Florestal Municipal é apoiado financeiramente pelo Fundo Florestal Permanente (FFP), assim como a equipa de sapadores florestais. O apoio que chega anualmente para esta equipa revela-se essencial para que as ações na floresta sejam desencadeadas de acordo com o calendário proposto pelo Estado. É que, os cerca de 40 mil euros disponibilizados pelo FFP têm como contrapartida a realização de serviços de limpeza de áreas de perímetro florestal cogeridos pelo Estado e comissões de compartes.

Ou seja, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestal (ICNF, IP) define quais as áreas mais sensíveis e urgentes em matéria de limpeza e a equipa de sapadores florestais tem de intervir nesses locais. Durante o ano 2020 o ICNF, IP definiu já que as intervenções acontecerão em Arnas e Granjal.

Este ano a equipa terá de cumprir 110 dias de serviço público, sendo que em termos de limpeza intervirá em cerca de 25 hectares. Depois, a partir de 1 de julho até 30 de setembro (período crítico de incêndios florestais) os sapadores passarão a cumprir outra exigência: vigilância da floresta em dias de alerta de probabilidade de ocorrência de incêndios.

Por outro lado, a equipa de sapadores cumpre o previsto no Decreto-lei 124/2006, ou seja, a limpeza de faixas de gestão de combustível na rede viária municipal e outras infraestruturas. Foram já realizados estes trabalhos na estrada A-de-barros, Carregal, Lamosa; cruzamento da EN226 a Freixinho; Ferreirim a Chosendo; espaço envolvente ao Loteamento do Pinheiro (Vila de Sernancelhe), Macieira, Lamosa, Quintela, Vila da Ponte e Cardia.

Para além da equipa de sapadores, que tem um custo anual total de cera de 70 mil euros, o Município de Sernancelhe teve necessidade de recorrer a uma empresa especializada em limpezas florestais, com quem contratualizou 36 mil euros de trabalhos, que contemplaram já limpezas entre as aldeias de Arnas e Cunha; Arnas a Sarzeda; da antiga estrada Sernancelhe a fundo do Granjal. Está prevista a realização de trabalhos entre Quintela e Quinta do cando; e Lamosa a Águas Boas, no limite com o Concelho do Sátão.

O Gabinete Técnico Florestal de Sernancelhe é responsável pela coordenação desta equipa de sapadores florestais, que cumprirá à risca o plano acordado com o INCF, IP, ao mesmo tempo, promoverá a diminuição do risco de incêndio, através das ações de defesa da floresta contra incêndios, nomeadamente a sua prevenção, vigilância, rescaldo de incêndios e vigilância pós incêndio.

Este ano, e por força da Pandemia da Covid-19, o Governo alargou o prazo para as limpezas ao redor das habitações, sendo permitido que as mesmas aconteçam até 31 de maio.