Encontro Distrital de Bandas Filarmónicas

Ferreirim recebeu o Encontro Distrital de Bandas Filarmónicas

A Associação da Banda Musical 81 de Ferreirim, concelho de Sernancelhe, recebeu, no dia 29 de fevereiro, o Fórum Pedagógico de Bandas Filarmónicas do Distrito de Viseu, organizado pela Confederação Musical Portuguesa (CMP).

A iniciativa, dirigida a elementos diretivos das agremiações, maestros e músicos, recebeu cerca de 50 representantes de vinte bandas musicais do distrito de Viseu, tendo Ferreirim sido escolhido para receber este encontro por ser membro da Confederação Nacional, pelo seu percurso musical de quase quatro décadas, e por ser responsável pela criação e coordenação do Conservatório Regional de Música, que serve já perto de duas centenas de alunos em quatro concelhos da região.

O fórum foi dividido em três painéis temáticos, sendo que no primeiro, que teve como orador Martinho Caetano, Presidente da Direção da CMP, foram abordadas as “questões administrativas e financeiras das bandas musicais”, concretamente os benefícios que advém da obtenção da Declaração de Utilidade Pública, bem como as isenções em vigor para as filarmónicas em matéria de IRC e IVA.

No segundo painel, da responsabilidade de Hermenegildo Campos, Secretário-Geral da CMP, a temática em análise foi a história e a evolução das bandas musicais, tendo sido feito um paralelismo com as bandas militares. Sobre as bandas musicais foi reconhecido o seu papel na valorização do repositório cultural e patrimonial, associado à orquestração de músicas por compositores portugueses, em deterimento dos estrangeiros. Foi ainda focado o tema do fardamento e a função social cada vez mais em voga das bandas musicais, que apostam na socialização e na inclusão dos jovens das comunidades das áreas geográficas destas agremiações.

O terceiro e último painél, apresentado por Carlos Santos, Presidente da Associação da Banda musical 81 de Ferreirim, instituição que preside também à Assembleia da Confederação Musical Portuguesa, abordou a importância dos estatutos e regulamento das bandas musicais, bem como a necessidade de estarem atualizados de acordo com a realidade das filarmónicas porque são essenciais em qualquer candidatura a financiamento que possa ser desenvolvida.

Referiu, ainda, e a propósito da Banda Musical 81 de Ferreirim, a notoridade decorrente da obtenção do título de Utilidade Pública, depois do reconhecimento do interesse municipal e da distinção com a Medalha de Mérito Cultural, que permitiu a criação do Conservatório Regional de Música, tutelado pelo Ministério da Educação e com financiamento pelo Orçamento de Estado. Tudo isto, reconheceu, foi determinante para que pudessem ser assinados protocolos com vários municípios e com estabelecimentos escolares da região, aumentando a incidência geográfica do Conservatório.

Neste painel abordou ainda as perspetivas de futuro da Banda Musical de Ferreirim, que passarão pela criação de uma filarmónica para seniores, em parceria com as IPSS´s, bem como a criação de sessões de musicoterapia, numa vertente social cada vez mais em voga, criando condições para intervir junto do público jovem, por forma a ultrapassar situações sociais graves como a falta de socialização e dificuldade de integração. Artur Costa, maestro da Banda Musical, interveio neste painel para explicar a evolução artística da filarmónica desde 2008, reconhecendo que soube adaptar-se à mudança de mentalidades e dar prioridade à qualidade e não à quantidade de atuações. De acordo com o maestro, esta estratégia permitiu atingir um patamar de qualidade assinalável, que teve como efeito mais positivo a permanência e mesmo o regresso de músicos formados na banda que, depois de períodos de ausência para realizarem as suas formações académicas, continuaram ligados à Banda Musical.

O evento encerrou com a intervenção do Presidente da União de Freguesias de Ferreirim e Macieira, Jaime Ferreira, que destacou a importância de uma instituição como a Banda Musical e o Conservatório para a freguesia de Ferreirim, evidenciando o impacto regional que associação tem conhecido. Apontando que esta ação deve merecer tratamento igual e apoios iguais aos de outras agremiações do País, lembrou que a Banda de Ferreirim preside à Assembleia da Confederação Musical Portuguesa, cargo que é revelador da dimensão da instituição.

Carlos Silva Santiago, Presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe, reconheceu, por seu turno, ser um orgulho constatar a forma apaixonada como todos os intervenientes falam da Banda Musical e do seu trabalho na comunidade e na região. Por isso, acrescentou, é uma honra a Confederação Musical Portuguesa escolher Ferreirim para esta ação, pois representa mais de 700 bandas, de todo o País.

Deixou ainda uma reflexão sobre o papel das bandas na atualidade, referindo que são fundamentais no campo social, podendo desenvolver ações essenciais para a valorização dos jovens e para o bem-estar dos seniores. A finalizar lançou o desafio para que o País olhe para estes exemplos que acontecem no interior do País e reconheça que há qualidade, há estratégia e há perspetivas de futuro.

O encontro, que decorreu na sede da Banda Musical 81 de Ferreirim e do Conservatório Regional de Música, e teve como parceiros o Município de Sernancelhe e a Escola Profissional de Sernancelhe, ficou concluído com uma atuação da Banda Musical anfitriã no auditório do edificío da antiga escola primária de Ferreirim.