Sernancelhe sabe cantar as Janeiras!

Sernancelhe sabe cantar as Janeiras!

É cada vez mais uma evidência: a tradição cultiva-se, celebra-se e transmite-se. Os Cantares das Janeiras, que decorreram na tarde de 6 de janeiro, no Expo Salão, precisamente no Dia de Réis, foram demonstrativos de como é possível recriar os momentos simples e autênticos que definem a cultura das nossas aldeias e promover uma iniciativa de grande valor sociocultural para o Concelho e para a região. A qualidade dos grupos e a preocupação com a recuperação e adaptação de músicas ao contexto das Janeiras é salutar e denota trabalho e dedicação de todos os participantes.

Dois ranchos folclóricos, duas bandas musicais, uma Academia de Música, um grupo coral, um grupo de cantares e onze centros lúdicos do Concelho de Sernancelhe foram protagonistas da tradição de cantar as Janeiras, uma iniciativa que acontece há já seis anos e que teve a sua origem numa atividade em parceria com o INATEL.

Com o objetivo de dar as boas vindas ao novo ano com muita música e animação, centenas de pessoas subiram ao palco e entoaram as modas que explicam a nossa história, sendo que este ano a grande novidade foi que oito dos dez grupos participantes eram do Concelho, representando essencialmente as associações locais.

Marcaram igualmente presença neste Encontro de Cantadores de Janeiras os utentes da rede de centros lúdicos do Concelho, que compreende já as freguesias de Chosendo, Cunha, Granjal, Lamosa, Macieira, Penso, Sarzeda, Seixo, Sernancelhe, Tabosa da Cunha e Vila da Ponte.

A particularidade destes cantadores é o conhecimento que ainda guardam das cantigas tradicionais em cada comunidade, e que, afinal, são parte da memória das respetivas terras, vindo ao de cima o trabalho de pesquisa, de recolha e valorização dos cantares, desenvolvido ao longo dos últimos anos no Concelho pelo projeto Contrato Local de Desenvolvimento Social.

Faz parte do cartaz ainda o Rancho Folclórico das Arnas, cuja recriação cénica assenta no ciclo do linho e nesta cultura secular da comunidade da Serra do Pereiro; o Rancho Folclórico de Sernancelhe, com os seus cantares ligados à agricultura, preservando a génese beirã; a Banda Musical de Ferreirim, agremiação com uma história paralela à terra de onde é originária: Ferreirim; a Banda Filarmónica de Sernancelhe, outro exemplo da riqueza cultural do Concelho, muito presente na música e nas filarmónicas; a Freguesia de Carregal, terra de Aquilino Ribeiro, que na sua obra encontra inspiração suficiente para apresentar quadras e cantorias de Janeiras únicas; o Grupo Coral da Paróquia de Sernancelhe, com o sentido religioso muito presente e com uma qualidade interpretativa muito elogiada; e ainda os convidados desta edição: o Rancho Folclórico de Moimenta da Beira e o Grupo de Cantares Sincelo de Penedono.