festa da castanha IMG 0570 31

SERNANCELHE, TERRA DA CASTANHA

A Festa da Castanha de Sernancelhe cumpriu este ano 26 edições. É o evento com maior longevidade do Concelho, uma festa da tradição e da identidade, um evento que alia a cultura à economia, o saber ancestral às novas dinâmicas do sector agrícola, promovendo o Concelho como um espaço de referência na produção de castanha da variedade Martinha no nosso País. A edição de 2018, que decorreu nos dias 26, 27 e 28 de outubro, voltou a afirmar Sernancelhe como a Terra da Castanha, e foram vários os momentos altos: apresentação do livro “Sernancelhe, o Castanheiro e a Castanha”, um projeto em parceria com a UTAD a abertura do evento pelo Presidente da Comissão de Coordenação Regional do Norte, Freire de Sousa, os passeios BTT e Pedestre pela Rota da Castanha e do Castanheiro, e uma extraordinária cobertura pela Comunicação Social, onde não faltou a transmissão do programa “Aqui Portugal”, da RTP.

No fim-de-semana de 26, 27 e 28 de outubro, o Concelho celebrou, de novo, a castanha, num evento que reuniu, no Expo Salão, expositores, empresas do setor, artesanato, gastronomia, restauração, animação, passeios pedestres e BTT pelos soutos da Martaínha e pela Rota da Castanha e do Castanheiro.

Durante três dias, Sernancelhe homenageou a natureza, os seus agricultores e enalteceu a relação equilibrada, secular, do homem com o meio.

A RTP, depois do sucesso dos dois últimos anos, voltou a realizar o "Aqui Portugal" em Sernancelhe, mostrando a Terra da Castanha para o país e para o Mundo no dia 27 de outubro. Repetiu-se igualmente o passeio equestre pela Rota da Castanha, levando os cavaleiros por uma viagem ao interior dos soutos, ao encontro das centenas de pessoas que apanham castanhas de forma ancestral.

A Festa da Castanha pretendeu igualmente, com os cerca de 100 expositores presentes no certame, colocar em evidência a dinâmica do tecido empresarial local que, também graças à castanha, conseguiu, nestas duas décadas e meia, transformar um produto subvalorizado num dos mais importantes no mercado, atingindo preços elevados e muito compensadores para os agricultores.

A castanha é responsável igualmente pela visibilidade que Sernancelhe e a região alcançaram, sendo o Concelho conhecido como a Terra da Castanha. Em torno deste fruto, cuja importância económica é inquestionável para as gentes de Sernancelhe, despoletou a prática desportiva de natureza, como o BTT pela Rota da Castanha e do Castanheiro, já na décima primeira edição, e que este ano contou com mais de um milhar de inscritos, uma oportunidade para dar a conhecer aos participantes as magníficas paisagens de soutos das encostas de Sernancelhe, bem como a gastronomia e a etnografia locais.

O mesmo sucedeu com os passeios pedestres pela Seara, a maior mancha de castanheiros da variedade Martaínha do nosso País, local que surpreende pela dimensão e idade secular dos castanheiros. Durante três dias, o Expo Salão preencheu-se com as cores de outono, as cores da castanha. Produtores e transformadores de castanha, juntas de freguesia e restaurantes (que proporcionaram uma mostra constante da gastronomia local associada à castanha), grupos de concertinas e ranchos, crianças e jovens músicos, entre tantos outros, mostraram aos visitantes que a castanha é sinónimo de festa e motivo de celebração por terras de Sernancelhe.

Os produtos à base de castanha estiveram igualmente em exposição e para comercialização, sendo vasta a oferta de gastronomia de castanha, não faltando os concursos da melhor castanha da Denominação de Origem Protegida Soutos da Lapa (DOP), e também do melhor doce, iniciativa em crescendo e que demonstra o espaço que a castanha conquistou na doçaria local e regional.

A Festa da Castanha 2018 foi, sem dúvida, a confirmação de que Sernancelhe tem uma cultura em torno da castanha que faz parte da identidade do povo e é fator de diferenciação no País.