Feira Aquiliniana, um evento que celebra duas marcas de Sernancelhe: Aquilino Ribeiro e o Santuário da Lapa

Feira Aquiliniana, um evento que celebra duas marcas de Sernancelhe: Aquilino Ribeiro e o Santuário da Lapa

A Lapa e Aquilino Ribeiro são duas marcas de Sernancelhe. Com mais de cinco séculos, a Lapa é um dos principais centros de romagem em Portugal, mantendo até hoje um sentido religioso notável; Aquilino Ribeiro é um dos mais reconhecidos escritores portugueses do século XX, que mereceu honras de Panteão Nacional, em 2007. Nos dias 2 e 3 de junho, na Lapa, o Município de Sernancelhe recriou, com rigor histórico e etnográfico, as romarias da Lapa do tempo de Aquilino Ribeiro, proporcionando aos milhares de visitantes um “regresso” ao passado, uma “viagem” pela identidade das nossas terras e das nossas gentes.

Muito visitada, a Feira Aquiliniana coexistiu, de forma impecável e coordenada, com as celebrações religiosas, em particular com as novenas, que acontecem na Lapa por estes dias.

Tratando-se de um evento temático que recria as Terras do Demo através das profissões, trajes, rituais, atividades e personagens, manteve igualmente o equilíbrio entre o sentido religioso e a questão profana do comércio, das tascas, dos comes e bebes, momentos que têm como inspiração a obra literária do escritor natural da freguesia de Carregal.

Assumindo o objetivo cimeiro de ser um tributo a Mestre Aquilino e à Lapa, o certame decorreu no terreiro do Santuário, envolto pelo conjunto patrimonial constituído pela Igreja, Colégio, Pelourinho, Casa da Câmara e o casario tradicional daquela pequena comunidade pertencente à Freguesia de Quintela, Sernancelhe, enaltecendo a vertente religiosa sempre presente na Lapa, a fé e a lenda que comprovam os mais de 500 anos de história de uma localidade criada pelos Jesuítas.

A Feira contou com representações cénicas dos hábitos e costumes tradicionais por grupos etnográficos e de teatro, animação de rua e dramatização de excertos das obras de Aquilino Ribeiro, atuações de ranchos folclóricos e grupos de concertinas e fado à desgarrada e uma mostra permanente de artesanato e de produtos regionais, sempre enquadrados no ambiente que recria a Lapa de finais do século XIX, início do século XX.

A iniciativa Feira Aquiliniana, que cumpriu este ano dez edições, surgiu da necessidade de Sernancelhe celebrar a sua memória, a sua história, e promover as marcas que posicionam o Concelho como terra de cultura, de fé e de grande riqueza patrimonial.
Mergulhando nas obras de Aquilino Ribeiro, em particular em “Cinco Réis de Gente”, “Uma Luz ao Longe” e “Livro do Menino Deus”, descobriu-se a verdadeira dimensão da Lapa na vida do Mestre das letras portuguesas. Mais do que o local onde estudou, mais exatamente no Colégio (onde é visitável o seu quarto, o n.º 33), foi a Lapa que mais o inspirou na brilhante carreira literária que desenvolveu e que lhe valeu lugar no Panteão Nacional, ao lado das figuras da história de Portugal.
Nas obras de Aquilino Ribeiro encontrou-se também toda a informação que permitiu recriar os seus tempos de criança na Lapa: as romarias, as feiras, as atividades, o culto, a dimensão religiosa do Santuário, enfim, os tons e os sons de finais do século XIX, início do século XX. Foi graças ao olhar atento e minucioso de Aquilino Ribeiro, bem como aos seus relatos impecáveis que nasceu um evento à sua imagem, que o homenageia e engrandece.
A Feira Aquiliniana é, para Sernancelhe, o evento mais autêntico que o Município dinamiza. Primeiro, porque decorre num local mítico, pleno de história e tradição – a Lapa tem mais de cinco séculos, é um Santuário dos mais antigos e prestigiados da Península Ibérica e está ligado à difusão do culto pelo Mundo, aquando dos Descobrimentos; depois, porque Aquilino Ribeiro é o mais exaustivo e completo biógrafo da Beira, das nossas terras, das nossas gentes, e de um tempo que, sem os seus livros, jamais seria conhecido e respeitado.
É esta herança que a Feira Aquiliniana celebra, proporcionando uma “viagem” no tempo a todos quantos visitaram a Lapa nestes dias.