Conservatório Regional de Música de Ferreirim

Secretário de Estado das Autarquias Locais assina contrato de financiamento para ampliação do Conservatório Regional de Música de Ferreirim

Com apenas três anos de funcionamento o Conservatório Regional de Música de Ferreirim assume agora a necessidade de ampliar instalações para responder ao maior número de alunos que querem aprender música. Depois de no dia 22 de abril ter atuado na Casa da Música, no Porto, recebeu no dia 8 de maio o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, para a assinatura do contrato de financiamento da obra de reabilitação do anexo, ligação coberta entre os edifícios e adaptação geral para escola de Música. O custo total da obra é de 83.538,94 Euros, financiado em 35.700,25 Euros pela Direção Geral das Autarquias Locais e em 47.838,69 Euros pelo Município de Sernancelhe.

No auditório do Conservatório de Música de Ferreirim decorreu a cerimónia de formalização do contrato de financiamento, onde Carlos Santos, Presidente da Direção da Banda Musical 81, entidade promotora do Conservatório, deu conta da importância do contrato de financiamento, pois permite “aumentar as nossas instalações para dar resposta ao elevado número de instrumentistas e também dar resposta à exigência do Ministério da Educação quanto à capacidade das nossas instalações e, deste modo, obtermos a licença de funcionamento definitiva”.

E foi precisamente a evolução física do Conservatório que o arquiteto João Greno explicou aos presentes com uma apresentação power point, recordando o edifício da antiga escola primária e o atual, mostrando como ficará após a intervenção que iniciará em breve.

Carlos Santos formulou ainda o pedido para que o Conservatório possa ser objeto de financiamento educativo já no próximo ano letivo, pois conta com 120 alunos, a quem oferece cursos de iniciação musical, ensino articulado, ensino supletivo, cursos básicos de música e cursos livres, mantendo protocolos com cerca de vinte instituições regionais e nacionais, como municípios, freguesias, agrupamentos de escolas, Confederação Musical Portuguesa, Escola Profissional de Sernancelhe – Esproser, S.A., GAL – Beira Douro, Inatel, Comunidade Intermunicipal do Douro CIMDouro, Academia de Musica de Sernancelhe, Santa Casa da Misericórdia de Sernancelhe, entre outras.

Jaime Ferreira, Presidente da União de Freguesias de Ferreirim e Macieira, demonstrou o seu contentamento pela visita do Secretário de Estado das Autarquias Locais, dizendo ser um sinal do quando reconhece a importância do Conservatório e do ensino da Música no interior do país. Concluiu deixando a certeza de que a sensibilidade do Dr. Carlos Miguel para as problemáticas dos concelhos e das freguesias do interior só existe verdadeiramente porque é um homem do poder local, conhece o país e a realidade das associações das comunidades que estão longe do litoral.

Por seu turno, Carlos Silva Santiago, Presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe, agradeceu a presença do governante, enfatizando o projeto educativo que tem sido seguido pela Direção, professores e alunos do Conservatório. E, nesse sentido, afirmou que é vital a obtenção de financiamento do Ministério da Educação para o Conservatório, pois é uma questão de elementar justiça e igualdade de condições das outras escolas do género no País. Por isso, pediu ao Secretário de Estado que desenvolvesse esforços no sentido de sensibilizar o colega com a tutela da educação, por forma a que haja financiamento já no próximo ano letivo.

E foi a qualidade dos alunos e professores do Conservatório que foi demonstrada de seguida com quatro momentos musicais, muito aplaudidos pelas cerca de duas centenas de pessoas presentes.

Coube ao Secretário de Estado das Autarquias Locais encerrar a cerimónia, deixando várias notas sobre o momento formal de assinatura do contrato de financiamento. Primeiro lembrou a importância de terem querido recuperar o edifício da antiga escola primária para que se continuasse aqui a ensinar; depois elogiou a atividade educativa como forma de promover a formação das crianças e jovens, assente no associativismo; e, por fim, apelou para que mantenham o sentido reivindicativo que define o poder local, reconhecendo mesmo ser essa a essência dos municípios e das freguesias do nosso País, pois reivindicam em nome do povo e em nome das pessoas. Razão pela qual prometeu transmitir ao Secretário de Estado da Educação a mensagem que leva de Ferreirim.