Lima Bastos apresentou “No Adeus à Sombra de Mestre Aquilino” e “O Retrato de Aquilino II”

Lima Bastos apresentou “No Adeus à Sombra de Mestre Aquilino” e “O Retrato de Aquilino II”

Manuel de Lima Bastos apresentou, na tarde de 16 de dezembro, no Auditório Municipal de Sernancelhe, as obras “No Adeus à Sombra de Mestre Aquilino” e “O Retrato de Aquilino II”. Com sala cheia, o autor que tem dedicado a sua pesquisa e escrita ao escritor sernancelhense Aquilino Ribeiro, ouviu palavras elogiosas de todos os oradores, destacando-se as intervenções do médico Jaime Milheiro, do editor fonográfico Arnaldo Trindade, e do Presidente da Câmara, Carlos Silva Santiago.

A cerimónia começou com a leitura de uma carta de José Manuel Mendes, Presidente da Associação Portuguesa de Escritores. Armando Mateus, Vereador da Cultura, leu a mensagem, onde Aquilino Ribeiro e Manuel de Lima Bastos mereceram comparação pelo estilo de escrita e pelo retrato do espaço beirão, referindo ainda que Lima Bastos é um potenciador da leitura das obras de Aquilino Ribeiro.

Por seu turno, Jaime Milheiro, médico e amigo de Manuel de Lima Bastos, disse que o autor tem uma “ligação mental a Aquilino”, muito tendo concorrido para ajudar a recolocar Aquilino em “notável evidência”. Numa análise mais detalhada à obra, Jaime Milheiro afirmou que “Aquilino ficciona; Lima Bastos ficciona as ficções de Aquilino”. Assim, acrescentou, verifica-se a relação entre mestre e discípulo, sendo que “os mestres são aqueles que nunca morrem, que não podem morrer”.

Imortais são também as marcas que Aquilino Ribeiro deixou ao longo da sua imensa carreira literária. E nem só de escrita se explica este percurso. Um disco microgravado, contendo o capítulo 9 de “O Malhadinhas”, foi oferecido por Lima Bastos ao Município de Sernancelhe. Facto que justificou que fosse ouvida, durante a cerimónia de apresentação dos livros de Lima Bastos, a voz de Aquilino Ribeiro a ler “O Malhadinhas”.

Logo depois, Arnaldo Trindade explicou o momento, dizendo que os audiovisuais daquele tempo tinham a função de “os autores demonstrarem como gostavam que as suas obras fossem lidas”. Disse ainda aquele conceituado editor fonográfico que era também uma forma de os autores fugirem ao crivo da censura e que Aquilino Ribeiro foi um dos escritores de referência em Portugal que viu trabalhos seus divulgados em disco. Sobre Lima Bastos, de quem se confessou admirador, classificou-o como um “biógrafo de Aquilino Ribeiro”.

Manuel de Lima Bastos, por sua vez, elogiou o Concelho de Sernancelhe pelo apoio que prestou às edições das suas obras. Reiterou a sua paixão pelas Terras do Demo, pelas gentes e pelos autarcas, justificando que foi essa relação “um contributo que teve significado neste seu trabalho pois permitiu entender melhor Aquilino Ribeiro entendendo as pessoas do seu meio físico e social”.

Neste enquadramento, quis o autor homenagear personalidades como o Eng.º Aquilino Machado, o Dr. Miguel Veiga e D. Manuel Martins, Bispo de Setúbal. Para todos deixou palavras de reconhecimento, particularizando D. Manuel Martins, que o acompanhou a Sernancelhe em várias apresentações das suas obras.
Carlos Silva Santiago, Presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe, destacou o momento de cultura, enaltecendo o trabalho de quantos têm, ao longo dos anos, dedicado o seu trabalho a Aquilino Ribeiro.

Referindo-se a Lima Bastos como “um descodificador”, enquadrou-o no lote das personalidades que dão um grande contributo para que Aquilino Ribeiro, de esquecido e deixado de lado dos currículos de ensino oficial, passasse a estar novamente na mente dos portugueses, nas estantes das livrarias, e motivasse reedições de obras esgotadas.

Por fim, Carlos Silva Santiago, manifestou a Lima Bastos o agradecimento “por proporcionar a tantos de nós e a todos os leitores das suas obras, estas viagens pela vida e obra de Aquilino Ribeiro”.